Pelo cuidado com as palavras

9 jun

O “boom” de matérias na mídia sobre bicicleta tem sido um ótimo termômetro sobre como o assunto entrou em pauta finalmente em São Paulo e no Brasil. O uso dela como meio de transporte não é novidade na periferia e em muitas cidades, mas por ser UMA DAS possibilidades REAIS de reduzir o caos na mobilidade urbana nas metrópoles, muita gente tem emitido opiniões sem embasamento e recheada de preconceitos sobre a prática.

Cabe a nós, ciclistas, exercer nosso direito de resposta, dizendo que existimos e queremos RESPEITO. Ninguém aqui tem a pretensão de obrigar todo mundo a utilizar este meio de transporte em TODOS os deslocamentos, apenas abrimos uma porta aos que querem experimentar a sensação de pedalar, seja pra ir na esquina, na casa de amigo ou pro trabalho. É legítimo, tá na lei.

Pensando nisso, resolvi registrar minha reclamação lá no site da TV Cultura em função dos comentários feitos pelo cientista político Carlos Novais (e pelo outro convidado) na sequência da (ótima) matéria sobre um passeio feito pelo pessoal da Ciclocidade com o prefeito de Portland, durante o encontro do C40 que reuniu vários prefeitos das principais cidades do mundo. Veja:

Volta de bicicleta com Sam Adams em São Paulo from Associação Ciclocidade on Vimeo.

Se você, assim como eu, ficou revoltad@ com as palavras desses comentaristas, registrem uma reclamação no site da TV Cultura! Vamos mostrar que existe SIM pessoas, de todas as idades, jeitos, estilos e tamanhos que utilizam a bicicleta como meio de vida.

RECLAMAÇÃO ENVIADA HOJE, 09/06/2011, às 11h, pelo Fale Conosco da TV Cultura. (por Aline Cavalcante)

“Gostaria de registrar minha indignação com os comentarios sem fundamento e preconceituosos do comentarista e cientista político Carlos Novais que falou levianamente sobre bicicleta como meio de transporte nessa reportagem: http://vimeo.com/24664402 Difícil falar sobre uma realidade da qual não se faz parte. Eu (assim como milhares de pessoas em SP) utilizo bicicleta como PRINCIPAL E UNICO meio de transporte, moro a 10km do meu trabalho, faço compras, vou pra balada, etc. Por me considerar um carro a menos congestionando e poluindo o ar de todo mundo EXIJO MAIS RESPEITO por parte desses jornalistas/comentaristas que se sentem no direito de julgar pessoas que nem conhece. Em contrapartida parabenizo o repórter pela excelente matéria sobre o assunto e REPUDIO o bla bla bla que veio depois no estudio!”

Anúncios

11 Respostas to “Pelo cuidado com as palavras”

  1. Vitor M. 09/06/2011 às 1:07 PM #

    Enviando mais um e-mail para Cultura em 3,2,1…

  2. Naldinho 09/06/2011 às 3:02 PM #

    Oi.
    Quando vi o post imaginei que o Carlos Novais falasse algumas besteiras, mas não imaginei que fosse algo tão grotesco quanto ouvi. Pelo menos no Rio e em Poa, basta dar um passeio em comunidades pobres para ver que a bicicleta é um veículo usado por diversos tipos de pessoas e para fins diversos, acredito que em Sampa também seja assim.

    Uma sugestão: acho vale a pena anexar ao email vídeos e relatos de viagens, uso diário, trabalho com bicicletas, etc.

  3. Wlad 09/06/2011 às 3:30 PM #

    eu mandei uma mensagem também, que copio abaixo:
    —————————————————————————-
    Lamentáveis os comentários dos ‘comentaristas’ do Jornal da Cultura acerca o uso diário da bicicleta como meio de transporte.
    Não basta a violência de muitos motoristas com seus carros de 2 toneladas sobre as pessoas, ainda vem senhores doutos falando na televisão atacando um meio legítimo de transporte.
    Tenho 50 anos, uso exclusivamente a bicicleta como transporte, e vou a qualquer lugar da cidade com ela.

    Se há barreiras, a cidade e seus administradores ajudam a sedimentar essas dificuldades. Naturalmente nem todos podem usar a bicicleta como transporte; alguns são muito idosos, algumas distâncias são muito grandes. Mas o uso de vários meios de transporte pode ajudar e facilitar. Bicicleta e metrô, ou bicicleta e trem, poderia desafogar o trânsito, melhorar a saúde de milhares de pessoas, diminuir consideravelmente a poluição, enfim, uma miríade de vantagens.
    A questão não se encerra aqui, é complexa e vasta, mas sinto muitíssimo que a televisão ‘pública’ (ao menos era pública) faça esse desserviço à população e à cidade.
    —————————————————————————-

    []s e bom pedal!

    • Pedaline 09/06/2011 às 4:14 PM #

      vc tem 50 anos? kkkkkkk desde quando???

      • Wlad 09/06/2011 às 4:42 PM #

        hahaha… na verdade, falta um ano e meio… viu como bike faz bem pra mente e corpo?

        beijos….

        Wadilson

  4. Aldo 11/06/2011 às 2:20 PM #

    A emissora está sob um governo de direita que, além de ter outros interesses, não sabe distinguir um especialista de uma pessoa com logorreia.

    Significado de LOGORREIA:

    1.(Uso: pejorativo) profusão de frases sem sentido e/ou inúteis
    2.(psicopatologia) compulsão para falar, loquacidade exagerada que se nota em determinados casos de neurose e psicose, como se o paciente, assim, quisesse dar vazão ao grande número de idéias que passam por sua cabeça; logomania, verborragia

    O discurso do cientista-urbanista-engenheiro-de-tráfego-sociólogo-cardiologista-pneumologista, parece se encaixar bem na definição, pois sequer tem coerência interna. Alguns exemplos:

    “a qualidade do ar é horrível” versus “o parque, no domingo, tudo bem”;

    “acho até a bicicleta importante para a saúde”, e todos sabem que o principal benefício é para o coração, versus “não é para qualquer pessoa com qualquer condição cardíaca”.

  5. Victor LG 18/06/2011 às 12:16 AM #

    Enviei o meu protesto a TV cultura, segue:.

    “Os cometários do sr carlos novais(em ninúsculo mesmo) com respeito aos ciclistas foram de extrema burrice, causou-me até ânsia de vômito ao ouvir aquelas palavras defecadas de sua boca, sem mencionar o bizarro acompanhante.

    Somente para saber que para bicicleta não há limites de idade:

    Trabalhei no Bradesco(Brooklin Pta.) pedalava diariamente do Jabaquara(Vila Campestre) até o banco citado e ao fim da labuta pedalava até a escola(Cidade Ademar), nos finais de semana passeava no Ibirapuera e ainda ia namorar em Santana, isso tudo em uma velha bicicleta Monark 10, quando mudei-me para Minas Gerais, isso já fazem 21 anos, ainda preservo a Monarck pedalando todos os dias 16 quilometros, já estou aposentado, tenho um automóvel e só saio para ir fazer compras no supermercado um vez por mês.”

  6. manoel francisco de paula 21/12/2011 às 11:54 AM #

    Os que falam aqui do sr Carlos Novaes devem possuir o mesmo nível intelectual que ele ou superior, pois não seria admissível que pessoas com QI inferior proferisse qualquer palavra que fosse contrária à do Sr. Novaes. Gosto muito do Sr Novaes e acho sim que ele é um especialista e um grande profissional.

    • luiz 22/12/2012 às 1:25 PM #

      sou ciclista e ando na rua ha anos mas vcs nao podem ser ingenuos. o novaes tem razao ao dizer que andar no meio dos carros (em sp) eh muito perigoso, o q nao eh bom nem desejavel. desconsiderar isso eh viver no mundo da lua. nao ando de bike em sp nas ruas (mas de moto, que tb nao eh exatamente maravilhoso) mas garanto que cuidar da saude eh nao andar de bike no meio dos carros ATE QUE HAJA CO NDICOES SEGURAS.

Trackbacks/Pingbacks

  1. Bicicleta: só no parque (aos domingos) | Vá de Bici - 09/06/2011

    […] um vídeo postado no blog das Pedalinas e achei interessante compartilhar […]

  2. Pelo cuidado com as palavras | barrigadefinida - 15/06/2011

    […] Source: https://pedalinas.wordpress.com/2011/06/09/pelo-cuidado-com-comentarios-levianos/ […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: