Arquivo | outubro, 2011

vamo lá BikeAnjo!

28 out

Hoje é dia de Bicicletada!, dia de “ocupar as ruas para festejar a bicicleta como meio de transporte”. E há ainda algo bem bonito para se comemorar: a mobilização pela captação de R$ 17.500 para o projeto do BikeAnjo!

IMPORTANTE: Neste momento, ainda falta uns 3% pra fechar a grana (acompanhe aqui – tenso). Tô naqueles momentos em que a torcida já fica cantando “ai, ai, ai, aiaiaiii, tá chegando a horaaaa”. Até agora 245 pessoas contribuíram para o projeto. Aproveita pra contribuir também!

Assim, durante a Bicicletada, serão rifados um par de alforjes (doação dos Pedarilhos) e uma obra feita pelo Marcelo Siqueira. Detalhes aqui: http://bikeanjo.com.br/

Vem.

A rua é de todos. A rua é viva.

Anúncios

Do túnel do tempo…

24 out

Desdendo a manú

 

 

 

 

 

Balada para ajudar o Bike Anjo!

19 out

Nesse sábado, dia 22/10, em São Paulo, vai rolar a Balada Bike Anjo a fim de divulgar e arrecadar recursos para o projeto no Catarse.

Segundo o site do projeto: “Com esse dinheiro vamos fazer um novo site e automatizar o sistema de pedidos, fazendo com que o ‘encontro’ entre o ciclista iniciante e o seu Bike Anjo seja mais rápido!”.

Durante a balada será possível ainda conhecer outras iniciativas que estão acontecendo pela cidade em prol da mobilidade por bicicletas como, por exemplo, o Coletivo CRU que vai vender um kit sensacional com: Bike Trunfo, spoke card ilustrado e patch serigrafado.

E ainda: vídeos de bicicleta, música boa, churrasco, bebidas, amigos e MUITA gente bacana!!! Algumas Pedalinas tb marcarão presença!!

Lembrando que a entrada pra balada é 10 reais, mas quem já contribuiu no Catarse NÃO PAGA – é só levar o comprovante impresso! TODA grana será doada para o Bike Anjo.

** Para saber o local exato da festa, mande e-mail para bikeanjo@gmail.com **

Vamos ajudar esse projeto incrível que vai revolucionar ainda mais a cidade de São Paulo!!

Ocupação de espaços públicos promove discussões sobre o rumo da nossa sociedade

18 out

Em maio a Espanha deu o ponta pé inicial e desde então a onda dos indignados não parou de crescer. Pessoas reprimidas do mundo inteiro decidiram levantar do sofá e ocupar as ruas e praças públicas com um pedido singelo por DE-MO-CRA-CI-A e transparência! Elas só querem dialogar, trocar experiências, construir à várias mãos cidades mais justas, uma política representativa, verdadeira, coerente.

Em São Paulo, milhares de pessoas se articularam, inclusive e não somente, no ambiente virtual, por meio do facebook etwitter e desde sábado, dia 15/10/2011, estão ocupando o Vale do Anhangabaú, enfrentando chuva, frio, ameaças, insegurança, sob a fuça da Prefeitura.

Foto: Aline Cavalcante

Nada mais simbólico, forte e sincero. Um local ermo, sombrio, ocupado por mendigos e excluídos sociais. Bem embaixo do prédio onde algumas poucas e selecionadas pessoas, em seus gabinetes fechados, tomam decisões que afetam diretamente a minha e a sua vida.

Nos juntamos aos fracos, para sentirmos que somos fortes, somos reais, somos cidadãos. Ocupamos sem atrapalhar a fluidez do deus-carro, então não há desculpas para retirar os manifestantes dali. É gente de todo tipo, jeito, raça, credo, orientação sexual. Índios se pintando e dançando maracatu contra a construção da usina de Belo Monte.

Por que políticas públicas feitas para 1% da sociedade não contemplam os outros 99%?! Será que só somos cidadãos a cada 4 anos quando vamos OBRIGADOS às urnas escolher quem NÃO irá nos representar???!

A ocupação tem um caráter bem simples: conversar com os outros! Entre conversas e devaneios, descobri, por exemplo, o estupro que a especulação imobiliária está fazendo com nossos espaços públicos. Percebi também como os políticos abrem as pernas para a indústria automobilística/petroleira por interesses obscuros. Quem paga o preço?

Nossas áreas verdes, rios e espaços coletivos estão virando pistas de carro, estacionamento, prédios luxuosos, shoppings. Famílias inteiras estão sendo isoladas e desabrigadas para dar lugar a obras ilusórias, eleitoreiras e super faturadas.

Isso não pode ser desenvolvimento. Isso não pode ser bom pra todo mundo.  Indigne-se você também!

As pessoas estão se juntando no mundo inteiro para trocar idéias, conversar, refletir, compartilhar experiências, angústias, desgostos, problemas e soluções.

A construção de algo coletivo PRECISA partir de algo também coletivo, não tem jeito, não tem fórmula secreta! E mesmo tendo certeza que não vai ser fácil, estamos conscientes de que é fundamental também sair do computador e fazer alguma coisa olho no olho.

Devemos ocupar, resistir, produzir decisões e encaminhamentos democráticos, onde acolaboração esmague a competição e a socialização destrua a capitalização. Participe você também! Se envolva! Tome de novo a cidade para você, ela é SUA, ela é NOSSA!

Vá até o Vale do Anhangabaú, participe do movimento mundial. Veja quais as necessidades dos acampados e ajude: http://15osp.org/necessidades/

Leia também: É hora de engrossar o discurso em duas rodas

Ciclistas estão se mobilizando para acampar na Praça d@ Ciclista (Av Paulista x Consolação), essa sexta-feira, dia 21/10!

Não perca tempo, ganhe vida!

14 out

 

Enquanto os motoristas perdem tempo no trânsito, nós somos a vida nas ruas!

Aproveite para apreciar a cidade que vc vive!

Bom final de semana =)

atendendo a pedidos

7 out

IMPORTANTÍSSIMO: A oficina é à prova d’água, por isso, mesmo com chuva, estaremos lá firmes e fortes esperando aquel@s que vão dar as primeiras de muitas pedaladas em suas vidas!

As Pedalinas organizam a 4ª edição da oficina aprenda a pedalar.

Será no feriado da próxima quarta-feira, quando se comemoram as datas da Descoberta da América, da Padroeira oficial do Brasil e o… Dia das Crianças!

14h. Não é necessário trazer bicicleta. A oficina é mista.

Endereço: Praça Vegana (tb conhecida como “Praça Marechal Cordeiro de Farias”)

 Um belo presente para a criança que existe dentro de nós.

falaram de nós

5 out

As Pedalinas foram matéria no Catraca Livre, texto assinado pela Natália Mendes. Logo após, o Gilberto Dimenstein comentou sobre o coletivo na Rádio CBN.

“Uma sensação que não tive na infância e agora resgato todo dia”, se orgulha Esther Sá, 19 anos, que aprendeu a pedalar em maio desse ano e já faz da bike seu principal meio de transporte. “É possível, não precisa morrer de medo”, garante.

Esther faz parte do coletivo Pedalinas, “um grupo de garotas que pegaram suas bicicletas e saíram pelas ruas de São Paulo.” Foi com elas que aprendeu a pedalar. + leia a matéria do Catraca Livre

+ ouça o Dimenstein aqui

%d blogueiros gostam disto: