Archive | março, 2011

Sobre uma notícia de jornal

30 mar

 

 

A reserva que um ovo inspira

é de espécie bastante rara:

é a que se sente ante um revólver

e não se sente ante uma bala.

(João Cabral de Melo Neto, “O ovo de galinha”)

 


O ovo insiste em aparar suas quinas mecânicas. Um ovo distinto, negro. Esse ovo toma forma de carro tateando no escuro; ele encerra em si expectativas. Dentro dele, feixes de reflexos de seus espelhos cruzam o interior em plasmas luminosos. Os vidros escuros, permeáveis à luz, como a fina casca branca do ovo. O miolo firme, prestes a transbordar os limites da película (cercado de uma estranha gosma transparente?), transgride. Chega um porvir imundo ronronando ameaças, bafo apressado em quentura de motor. Cem bicicletas rasgam o frescor, deslizando arritmadas em fluidez inventada. Rodando: o ovo-carro avança, muito rápido. E – os segundos de repente têm o peso da traição pelas costas – atropelamentos. Ciclistas escorrendo feito gema mole sobre seu pára-brisa, subindo, caindo pelas bordas em umidade vermelha. As formas arredondadas – para surpresa do ovo! – ficaram do lado de fora de sua casca de azeviche, girando no vazio, longe do chão.

Alguns dias antes, Ricardo fantasiava. Ele a admirava através do vidro, contemplando-a. Deslizando sensualmente, ela transpirava seus movimentos ágeis como a cheia de um rio, uma manada. Como essas coisas que fazem curvas que escapam da vista. Ele desdenhava a Liberdade todas as vezes em que ela esfregava a sua prisão através dos vidros calculadamente permeáveis. Homens e mulheres lhe privavam do que era seu. Do lado de dentro, ele sem ela. Mas Ricardo não ousava tocá-la. Em espirais, sobre bicicletas, ela continuava a rondá-lo em brisas cada vez mais soltas, sussurrando o silêncio da invisibilidade. Súbito, uma violência metálica e a fragilidade em ferida aberta. A gema (se é que assim podemos chamar aquilo que recheia um ovo inorgânico) teve seus nervos oleosos endurecidos pelo ciúme. A Liberdade sequer poderia ser sua amante enquanto ele cerrasse seu corpo dentro de tão dura matéria, lata quente de motor. Sentindo a pulsão, ele desejou o frescor que emanava de maneira irremediável: o lado de dentro ousou tocar o fora com bastante obscenidade. Rendeu-se aos impulsos despudorados que lhe coravam a face, cuspiu a clara translúcida que nutre a vida e a feriu. Junto com esse disparo, cem pessoas deitavam na secura do asfalto. E foi assim que o ovo negro despedaçou a Liberdade em cacos de bicicleta.

………………………………………………………………………………………………

Em 1935, um jornal mexicano noticiava a morte de uma mulher, encontrada em sua própria cama com dezenas de ferimentos. Próximo à mulher, encontraram seu marido, coberto de sangue, punhal na mão. “Unos cuantos piquetitos” (em tradução livre: “algumas punhaladinhas”) foi a expressão utilizada pelo assassino para justificar-se para a polícia. Frida Kahlo pintou um quadro com este título, inspirada por este brutal acontecimento. A moldura da obra está toda manchada de sangue e marcada por golpes de punhal, o que sugere que Frida teria arrancado esta imagem da realidade. E a realidade sempre nos ultrapassa. O fragmento acima é, por assim dizer, a imagem que voou na minha direção no dia 25 de fevereiro de 2011.

(Neste momento, Ricardo Neis está preso fora de seu automóvel.)

Porto de alegrias

29 mar

Sexta-feira passada completou 1 mês que o bancário-psicopata, Ricardo Neis, pisou no acelerador e atentou contra a vida dos ciclistas de Porto Alegre! O fato chocou o Brasil e o mundo, mobilizando massas críticas de vários lugares e florindo homenagens lindas.

Até a Critical Mass de São Francisco se sensibilizou!

Quando eu, drielle e veronica decidimos ir pra lá, o sentimento era de solidariedade. Queríamos abraçar aquelas pessoas, conhecê-las, olhar nos olhos, pedalar com elas!

E na sexta-feira de bicicletada desembarcamos em Porto Alegre! Fomos de bike até o encontro com a massa e foi só alegria! Eles são muito animados, tem gritos super criativos e a paz reina! Veja nesse vídeo:

Massa Crítica de Poa – março/2011 from Naldinho on Vimeo.

A impressão que tivemos sobre a cidade em si foi das melhores possíveis, apesar de termos nos perdido no começo e caído no que seria a 23 de maio deles! Mas no geral as ruas são bem largas, planas, arborizadas, fluidas. Claro que essas impressões são de alguém que mora em São Paulo e ficou apenas 1 final de semana no lugar.

As pessoas são super receptivas! Nossa anfitriã Lívia (@bikedrops) é uma fofa! Infelizmente o

encontro com as Cíclicas não rolou conforme o combinado pois estava chovendo muito no sábado e a maioria das meninas desistiu. Mesmo assim tivemos a oportunidade de bater papo com algumas delas.

As 3 Pedalinas malucas por chuva se encharcaram praticamente todos os dias, o sorriso não cabia no rosto e foi tudo LINDO. AMAMOS o rolê!

Gostaria de deixar aqui registrado nosso agradecimento à Massa Crítica Poa, ao pessoal de Curitiba, às meninas das Cíclicas e a tod@s que fizeram daquele dia um dos mais legais das nossas vidas!

Força no encaminhamento jurídico contra o atropelador! Saibam que o episódio foi um marco para a bicicleta como transporte no Brasil, a visibilidade, a comoção renderam discussões e uma movimentação em torno do tema MUITO importantes!! Contem com a gente pro que precisarem!

Ficou a saudade e a certeza de que voltaremos em breve! Aproveito para enfatizar o convite: VENHAM PEDALAR COM A GENTE!!! As portas estarão sempre abertas!

@pedaline

(Tem mais fotos minhas aqui)

O caos e a bicicleta

25 mar

Essa é a Célia mostrando um pouco da sua rotina diária de congestionamento pedal e prazer. Percebam como o caos motorizado faz da bike um veículo absurdamente eficiente: “É muito bom ver os carros parados! Eu passo todos eles”!

O vídeo foi veiculado durante o seminário sobre mobilidade urbana em Piracicaba no mês passado. Eu também participei em nome da Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo – Ciclocidade – mas não pude perder a oportunidade para falar inclusive das Pedalinas! Várias mulheres vieram conversar sobre o coletivo, se interessaram e prometeram aparecer por aqui para pedalar com a gente!

AAAAH!! NÃO ESQUEÇAM QUE DOMINGO, DIA 27/03, TEM BAZAR DE TROCAS DAS PEDALINAS!!! SAIBA MAIS AQUI

Cíclicas e Pedalinas

23 mar

Atenção meninas de Porto Alegre! Sábado, dia 26/03, tem pedal + bate papo entre representantes dos coletivos femininos de ciclistas: Pedalinas (SP) e das Cíclicas (POA). Olha que legal o convite que as gaúchas fizeram:

Eu (@pedaline), Drielle (@drialarcon) e Verônica (@vmambrini) vamos desembarcar em PoA essa sexta-feira para participar da Massa Crítica que completa 1 mês do atropelamento coletivo contra ciclistas do movimento. Aproveitaremos a visita para conhecer as meninas que agitam os pedais por lá. Na volta contaremos as novidades!!

#VADEBIKE

Das massas críticas

22 mar

Veja as belíssimas fotos da Massa Crítica de Buenos Aires que também pedalou em apoio aos ciclistas atropelados pelo bancário Ricardo Neis, dia 25/02, em Porto Alegre.  (para abrir o link é necessário ter conta no facebook)

O atropelador foi denunciado e vai responder por 17 tentativas de homicídio triplamente qualificadas. “Conforme Callegari (promotora do MP), os crimes foram praticados por motivo fútil, tendo em vista que o denunciado queria imprimir velocidade em seu veículo, encontrando o grupo de ciclistas pelo caminho, demonstrando extremo egoísmo e individualismo”, diz a matéria.

Essa sexta-feira, dia 25/03, completamos 1 mês da tragédia e a Massa Crítica de Porto Alegre vai ocupar as ruas como fazem todas as últimas sextas de cada mês. Ciclistas das massas críticas de São Paulo e Curitiba também vão compor o coro e gritar junto com os gaúchos por mais amor e menos motor!

Inclusive algumas integrantes das Pedalinas se encontrarão com o coletivo de meninas de Porto Alegre, as Cíclicas, para um bate-papo, troca de experiências e muito pedal.

Bicicletada

Em São Paulo, a Bicicletada acontecerá dia 25/03 a partir das 18h na praça d@ciclista e promete uma pizza ao ciclista mais original. Veja o convite:

PARTICIPE

PEDALE

DEMONSTRE QUE VOCÊ NÃO COMPACTUA COM UMA CIDADE PENSADA APENAS PARA QUEM TEM CARRO! DEVOLVAM AS RUAS PARA AS PESSOAS!!!!

Bazar de troca! próximo domingo

20 mar

bijuterias – buzinas – capacetes – cds – lanternas

– livros – luvas – travas – vontade – traga o que quiser!

comes e bebes são bem-vindos.

quando? dia 27 de março, a partir das 14h

onde? próximo ao parque villa-lobos. haverá bonde de saída da praça do ciclista. se ajudar, como é domingo, é possível utilizar a ciclofaixa de lazer para vir ou ainda embarcar com a bike no metrô.

favor confirmar presença: anarusche@gmail.com, assim te enviamos o endereço e outros detalhes que precisar.

Obsceno é o trânsito

18 mar
 

 

Foto Santiago Luz

Centenas de ciclistas pedalaram com pouca (ou nenhuma) roupa na 4ª edição do World Naked Bike Ride realizada sábado, dia 12/03/2011, em São Paulo. A Pedalada Pelada, como foi traduzida para o Brasil, acontece todos os anos em diversas partes do planeta e depois de 3 anos consecutivos tendo problemas com a polícia, finalmente conseguimos fazer o encontro sem transtornos e sem ela – PM.

Com MUITA alegria, cores, luzes e sorrisos os manifestantes gritavam por visibilidade e respeito no trânsito e, para isso, chamavam atenção das pessoas utilizando o próprio corpo como tela, onde fizeram desenhos e pintaram frases ativistas. As muitas partes à mostra, invariavelmente, atraíam os olhares curiosos. Mas a recepção era sempre positiva.

Foto Santiago Luz

Além da fragilidade do ciclista sobre a bicicleta e da necessidade coletiva de proteção/compreensão/compartilhamento/coexistência, o World Naked é uma oportunidade para abrir discussão sobre assédio contra mulheres. Dentro da massa pelada sentimos muita segurança em despir, mas comentários extra-bicicletada ainda são frequentes e intimidadores.

Parabéns às Pedalinas que participaram, tiraram (ou não) a roupa e mais uma vez mostraram sua indignação diante de tantas questões polêmicas que rondam nosso dia a dia! Pq obsceno MESMO é esse trânsito que tira a cidade das pessoas, polui e mata quem vive nela!

 

Foto Santiago Luz

Foto Martin

Foto Carlos Alkmin

Veja mais relatos:

FelizCidadeFeliz – Pedalada Pelada do jeitinho que a gente gosta

Outras Vias – Sem pudor de mudar o mundo

Vá de Bike – Como foi Pedalada Pelada 2011

ESPN Renata Falzoni – O sucesso da quarta edição do WNBR em SP

Clipping com TUDO que saiu sobre o WNBR, fotos, relatos, noticias e videos


Pedalada Pelada 2011 # WNBR from Palmas on Vimeo.

%d blogueiros gostam disto: